Glifosato em 6 Passos

O que é glifosato?

O glifosato é um herbicida utilizado em todo mundo e capaz de controlar diversas espécies de plantas daninhas em dezenas de diferentes cultivos. As formulações à base de glifosato têm sido utilizadas na agricultura por mais de 40 anos, sendo este o ingrediente ativo mais utilizado para o controle de plantas daninhas.

Para que o glifosato é usado?

Nos campos nos quais os alimentos são produzidos, as plantas daninhas competem com os cultivos pelos nutrientes do solo, água e luz solar. Herbicidas como o glifosato são ferramentas que possibilitam ao agricultor controlar as plantas daninhas, otimizando o uso dos seus recursos para obter melhores colheitas.

Como age o glifosato?

Uma vez aplicado sobre as plantas daninhas, o glifosato inibe, de forma específica, uma enzima encontrada em vegetais, impedindo o seu crescimento junto aos cultivos. Quando pulverizado sobre as partes verdes das plantas, o glifosato circula até as raízes, bloqueando o crescimento de plantas daninhas que prejudicam a lavoura.

O uso do glifosato é seguro?

Mais de 800 estudos realizados mundialmente atestam a favor da segurança do glifosato. Esses estudos têm sido avaliados por diferentes órgãos, como a Agência de Proteção Ambiental (EPA), dos EUA, e a Comissão Europeia. A conclusão destas e de outras agências reguladoras do mundo mostra que, quando utilizado de acordo com as recomendações técnicas e de registro, o uso do glifosato não apresenta riscos para a saúde humana ou animal, nem para o meio ambiente.

O glifosato é utilizado em todo o mundo?

Atualmente, mais de 160 países aprovam o uso do glifosato na agricultura. No Brasil, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) são as autoridades que aprovam e registram o uso e a comercialização de produtos para a proteção de cultivos, incluindo os herbicidas à base de glifosato.

A Monsanto é a única empresa que vende herbicidas à base de glifosato?

A Monsanto descobriu e desenvolveu o glifosato e a primeira formulação foi o herbicida Roundup®, comercializado nos EUA desde 1974. Hoje, aproximadamente 50 empresas no Brasil têm seus próprios registros de herbicidas à base de glifosato, o que demonstra a efetividade do produto.

Mitos

A Monsanto busca construir um diálogo aberto com os agricultores e toda a sociedade. Sabemos que boatos são construídos em decorrência da falta de informação, então estamos aqui para que você possa entender como os alimentos chegam à sua mesa, qual o nosso papel neste processo e também como os produtos utilizados para maximizar a produção rural, como os herbicidas à base de glifosato, contribuem para a produção de alimentos.

Glifosato em um minuto

MITO. O glifosato causa câncer.

Estudos regulatórios e estudos independentes realizados durante os últimos 40 anos não encontraram correlação entre o uso do glifosato e a incidência de câncer. As avaliações das autoridades regulatórias de países como EUA, Canadá, Japão, Nova Zelândia, Austrália e da Comunidade Europeia indicam que não há evidências de correlação entre glifosato e câncer. Em maio de 2016, a Reunião Conjunta FAO/OMS sobre Resíduos de Pesticidas (JMPR) concluiu que “é pouco provável que o glifosato apresente risco carcinogênico para os seres humanos a partir da exposição através dos alimentos”.

O glifosato, como qualquer outro produto químico utilizado na agricultura, deve sempre ser manuseado corretamente, de acordo com as recomendações do fabricante.

MITO. Em caso de ingestão, o glifosato permanece no corpo.

Devido à natureza química do glifosato, ele é eliminado através da urina em caso de ingestão

MITO. O glifosato é uma ameaça para os animais

O glifosato apresenta baixa toxicidade e, quando utilizado corretamente, seguindo as instruções de uso, não representa risco aos animais.

MITO. O glifosato afeta o meio ambiente

A molécula de glifosato apresenta uma rápida degradação no solo e se une fortemente às suas partículas, o que significa que não se espera seu deslocamento para cursos d’água e lençol freático. Além disso, o glifosato é degradado com o tempo em substâncias não prejudiciais ao meio ambiente ou à saúde.

O glifosato não é um composto volátil e, quando aplicado corretamente, seguindo as indicações de uso, tem baixo potencial de atingir outros cultivos ou vegetação nativa através da deriva.

Segurança

Uso seguro e responsável

Para nós na Monsanto, a segurança é uma prioridade desde o manuseio das matérias-primas presentes em nossas soluções para a agricultura. Antes da sua comercialização, cada herbicida formulado à base de glifosato deve atender a rigorosos padrões de qualidade e normas de segurança estabelecidos pelas autoridades regulatórias, de modo a proteger a saúde humana, animal e o meio ambiente.

Nessas avaliações, os reguladores analisam uma grande quantidade de estudos que abrangem diferentes aspectos de saúde relacionados à exposição ao produto, impacto ao meio ambiente e questões referentes às propriedades químicas do glifosato.

Assim como qualquer produto químico utilizado nas lavouras, no Brasil os herbicidas à base glifosato devem ser registrados e aprovados por diferentes órgãos federais e estaduais antes de serem comercializados. Estes órgãos são também os responsáveis pela aprovação da forma de uso, das instruções para o manuseioe dos equipamentos de proteção individual a serem utilizados quando da aplicação do produto.

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), a Comissão Europeia (EC) e outras instituições, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), concordam que, se aplicado corretamente, seguindo as recomendações de uso, o glifosato não representa risco para a saúde humana, fauna ou meio ambiente.

Estudos Cientifícos

Conheça a Opinião de Quem Entende do Assunto

"Produto avaliado e aprovado pela ANVISA para uso no Brasil." 2010
Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)


"Atualmente, o APVMA não tem dados que sugiram que os produtos à base de glifosato cadastrados na Austrália, usados segundo as instruções do rótulo, apresentem qualquer risco inaceitável para a saúde humana, o meio ambiente e o comércio. (...) O peso e a força da evidência mostram que o glifosato não é genotóxico, cancerígeno ou neurotóxico." 2013
Autoridade Australiana de Pesticidas e Medicamentos Veterinários


"A EPA chegou à conclusão de que o glifosato não representa risco de câncer para os seres humanos." 2013
Agência de Proteção Ambiental dos EUA


"Segundo a União Europeia, não existem provas de efeitos sobre a fertilidade, a reprodução e o desenvolvimento neurotoxicológico que possam ser atribuídas ao glifosato" 2014
Instituto Federal de Avaliação de Riscos, Alemanha


"Baseado na avaliação atual da Agência de Proteção Ambiental, é recomendável seguir as instruções do rótulo de todos os produtos que contenham glifosato para proporcionar uma proteção adequada aos usuários" 2015
Agência de Proteção Ambiental da Nova Zelândia


"É pouco provável que o glifosato suponha risco cancerígeno para os humanos." 2015
Autoridade Europeia de Segurança Alimentar


"Levando em consideração a força e as limitações da grande quantidade de informação sobre o glifosato, que inclui múltiplas pesquisas de toxicidade em animais, a curto e longo prazo, inúmeros testes de genotoxicidade in vitro e in vivo, assim como a grande quantidade de informações epidemiológicas, o peso total da evidência indica que é pouco provável que o glifosato apresente risco de câncer para os seres humanos." 2015 Agência Regulatória do Controle de Pragas do Canadá


Se ainda tiver dúvidas, acesse a seção "Conversa" em www.descubramonsanto.com.br

LINKS ADICIONAIS: http://www.canalrural.com.br/noticias/agricultura/qual-importancia-glifosato-para-agricultura-brasileira-56325